terça-feira, 11 de maio de 2010

O QUE É IANDÉ



IANDÉ significa Constelação de Órion de acordo com diversos dicionários Tupi-português.
Temos também outras formas da palavra:

• Îandé (pron.pess.): nós; nosso (incluindo a pessoa que fala),

• Iandê (pron.pess): você.

Em nosso caso, adotamos IANDÉ, pois o conceito de constelação vai ao encontro de nossos desejos e objetivos como grupo.

Fontes de referência:
Wiki Nhe Endyba, dicionário Tupinambá-português,
Dicionário Tupi-português Márcio S.Pinheiro/prof.Joubert Di Mauro,
Dicionário Fernando A.P.Silva,
http://www.indios.info/ – Renato Nicolai,
http://www.ufcs.br/


AS ANDANÇAS DO IANDÉ

O Grupo Iandé, originalmente formado pelo interesse comum de seus participantes pela cerâmica, foi desenvolvendo um núcleo de estudos para pesquisa, reflexão, discussão e disseminação de assuntos de diferentes áreas das ciências humanas e exatas. Essa proposta foi surgindo naturalmente, por força do interesse e da formação de seus membros Megumi Yuasa, Naoko Yuasa, Rosana de Oliveira e Sandra Lagua. Assim, fomos elaborando e ministrando palestras e oficinas, cujos temas estão quase sempre voltados para as questões que envolvem o processo criativo, permanecendo em constante evolução e tranformação.

AMPLIANDO A CONSTELAÇÃO

Dando sequência às nossas andanças e ampliando a constelação tivemos experiências com diversos grupos de pessoas interessadas em arte, cultura e educação.

Conhecemos assim em Itú o "Grupo Mosaico de Extensão Cultural" onde fizemos uma palestra e conversamos sobre "Reflexões Sobre o Acaso no Processo Criativo". Esse grupo é formado por pessoas de diferentes áreas de atuação, pesquisadores, educadores, artistas plásticos e outros, que se encontram para discutir sobre os mais variados assuntos e produzir conhecimento, sempre com a presença de algum palestrante.
Tivemos também a oportunidade de estar com os artistas-professores da EMIA, escola que funciona no Parque Lina e Paulo Raia (antigo Parque da Conceição), na cidade de São Paulo. O tema de proposto foi "Reflexões Sobre o Acaso e a Observação no Processo Criativo". A EMIA é uma escola municipal de iniciação artística que atende crianças de 05 à 12 anos, conforme um projeto que visa integrar música, artes plásticas, teatro e dança. Foi uma experiência incrível.

Para quem se interessar em conhecer mais sobre essa escola, sugerimos a leitura do livro "Arte e Construção do Conhecimento na EMIA", escrito pela Professora Doutora Márcia Lagua de Oliveira e editada pela Casa do Psicólogo/FAPESP.
"A escola é espaço de criação e, também, palco para os alunos e os artistas professores compartilharem com a comunidade, os conhecimentos ali produzidos. Inaugurada em 1980, tem hoje um projeto maduro, construído no entrecruzamento de muitas histórias. Poderiamos dizer, sem sombra de dúvida, que a diversidade é a principal marca desta escola." Ana Angélica Albano


2º CONGRESSO NACIONAL DE CERÂMICA

Participamos também do 2° Congresso Nacional de Cerâmica do Paraná, promovido pela Secretaria da Cultura do Estado do Paraná. Lá continuamos falando sobre o acaso e a observação e ainda sobre o visível e o invisível no processo criativo. Ministramos  palestra e oficinas sobre esses temas, através de atividades que proporcionavam a utilização de diferentes formas de expressão, tais como linguagem oral e escrita, colagem, jogral, desenho e escultura em argila, trabalhando de forma individual e coletiva, baseados na proposição surrealista do "Cadáver Esquisito". Foi para nós uma honra e um prazer. O congresso, muito bem organizado, contava com a participação de um público muito rico, vindo de todo o Brasil. O grupo das oficinas era de uma diversidade de conhecimento e experiências incrível e de um entusiasmo contagiante. Além da oportunidade de trocar experiências com tantas pessoas de tão variadas atividades tivemos a oportunidade de estreitar os laços com o "BANDO DE BARRO", sobre o qual falaremos a seguir.


O BANDO DE BARRO
O  Bando de Barro constitui-se de professores e de ex-professores do Instituto de Artes da UFRGS, de alunos e ex-alunos, pessoas interessadas em cerâmica, curiosos de primeira viagem.
O Bando de Barro é amorfo (os integrantes são inconstantes), volátil e instável (os errantes vão e voltam) e, as vezes, ocioso (quando não temos vontade de fazer nada). O Bando não tem sede real ou virtual mas sobrevive na nossa imaginação e acontece quando dá aquela vontade de trabalhar. Inicialmente formado por ceramistas, está sempre aberto a propostas marginais ou institucionais, desde que sejam ligeiramente decentes.
Vejam mais sobre o Bando de Barro no link: http://www.bandodebarro.blogspot.com/
http://portfoliodobandodebarro.blogspot.com/


Alguns bandoleiros, fundadores do grupo, já eram conhecidos de longa data e o encontro rendeu uma parceria que vem durando. Agora somos ora bandoleiros, ora iandeiros.

Como bandoleiros temos participado de maravilhosas exposições, que estão sempre sendo organizadas, com muita competência e criatividade pelo bando.

EXPOSIÇÃO "PASSAPORTE CERÂMICO - A IDENTIDADE DO BARRO"
Convite

Trabalhos enviados à exposição pelo Grupo Iandé. Para esta exposição tivemos a colaboração de Olívia Fernandes que participa de muitos de nossos encontros e fez a mini escultura "Paisagem Urbana", quando tinha 10 anos.

"Árvore Craneum" - Luciane Durazzo


"Voam Espectros no Rastro Libertário em Tempo de Fuga"
Megumi Yuasa

"Paisagem Urbana" - Olívia Fernandes

"Idéias Porosas do Godofredo" - Rosana Oliveira

"Descanso" - Sandra Lagua

EXPOSIÇÃO "ÁGUA"


Veja mais sobre esta exposição no link: http://www.bandodebarronodmae.blogspot.com/



DIA DO CERAMISTA EM CUNHA
Todos os anos, no dia 28 de maio, em Cunha se comemora o Dia do Ceramista. Neste ano de 2009, Megumi foi homenageado, tendo suas esculturas que formavam o conjunto "Colóquio Intrigante"expostas, juntamente com muitos outros ceramistas, no Espaço Cutural Lavapés. Megumi também fez uma exposição a respeito de sua obra e sua trajetória.
Estivemos também na abertura do forno noborigama no Atelier do Antigo Matadouro, de Alberto Cidraes.


O ICCC - INSTITUTO CULTURAL DA CERÂMICA DE CUNHA
Durante as comemorações do Dia do Ceramista foi também lançado o ICCC. Um grupo de ceramistas e outros agentes culturais se associaram para criar o Instituto Cultural da Cerâmica de Cunha.
O ICCC será um braço institucional do polo de cerâmica artística que há mais de 30 anos se vem instalando no município.
O ICCC tem como alvo promover o crescimento e a difusão da atividade cerâmica, abrindo o seu acesso à população em geral, em ações educativas e culturais. Escola, museu e centro cultural, o ICCC apoiará a cultura local de forma global, promovendo eventos e ações, também em outras áreas.
As gerações mais jovens serão o principal público-alvo da programação do Instituto, que dedicará muito da sua energia ao estabelecimento de vias de intercâmbio, tanto nacional quanto internacional, com outros centros e instituições educacionais voltados para a pesquisa nas áreas da cerâmica artística e artesanal.

Texto extraído do site: http://www.icccunha.org/

EXPOSIÇÃO "GUARDAR"

                                                                                                                                                                                                                                                       
Grupo de ceramistas apresenta criações no Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul. Mostra de cerca de 50 artistas ceramistas do grupo Bando de Barro exibida em outubro de 2009, nos jardins do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul, obras de arte que mostram criações feitas a partir do barro e que comprovam a contemporaneidade da criação em cerâmica.
A exposição "Bando de Barro no Arquivo" tem como tema norteador as palavras chave: guardar, guardião e os possíveis desdobramentos que delas pudessem surgir, remetendo à função própria do local da exposição, o Arquivo Público.
Veja mais sobre esta exposição no link: http://www.bandodebarronoarquivo.blogspot.com/

Árvore
Ser mítico primeiro das florestas,
símbolo da natureza,
da vida e da morte.

Ponte entre tempo, espaço e conhecimento,
explosão de energia e beleza,
elegância, força e fantasia,
ninho, concha e abrigo de todas as moradas,
tensão e equilíbrio,
brinquedo, memória e amizade.

Enigma de mitos escondidos,
ar, água, alimento,
terra, fogo e sabedoria,
luz, sombra, cores e encantamento.

Reduto da passividade ativa,
resistência pacífica, alerta,
reino da graça e do imaginário,
registro dos ventos, esperança.

Dialética do mole/duro
contido/continente
dentro/fora
simétrico/assimétrico
visível/invisível
cultura/paz.

MEGUMI YUASA - Itu, inverno de 2001



Tivemos agora a feliz notícia de que a Exposição GUARDAR se tornará itinerante. O próximo destino para onde os "guardados"  irão será  o Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Souza, em dezembro.
Sobre esta exposição veja o link: http://www.bandodebarronomuseuhistorico.blogspot.com/

Temos outros planos de parcerias com o Bando de Barro, além das exposições. Vamos torcer para os planos darem certo.


NOVAS ANDANÇAS

EXPOSIÇÃO CERÂMICA CONTENPORÂNEA

Tivemos também a honra de conhecer e conversar com um grupo de ceramistas de Campinas e cidades próximas. Alguns são alunos da ceramista Cecília Akemi e outros parceiros. Esse grupo participou de uma brilhante exposição em Paulínea, a qual o Megumi  e a Naoko Yuasa visitaram.

                                                                                 
Veja as fotos da exposição feitas por Ariel Martini: http://picasaweb.google.com.br/sandra.lagua/EXPOSICAOPAULINEA#

Participaram desta exposição:  Heloisa Alvim, Elaine Zanella, Angelina Zambelli, Silvia Magalhães, Wlademir Carvalho, Verusca Fialho, Ely Miyazaki e Cecília Akemi.


ATELIER CECÍLIA AKEMI

Fomos posteriormente convidados a conhecer o atelier de Cecília Akemi, numa reunião com seus alunos e parceiros, para também conversarmos a respeito de novas parcerias em palestras e oficinas.

1ª foto: Megumi Yuasa e Veruska Fialho; 2ª foto:  esq.p/dir. Silvia Magalhães, Marta Gehringer, Wlademir Carvalho, Verusca Fialho, Ely Miyazaki, David Rodrigues, Afrânio Montemurro, Megumi Yuasa, Sandra Lagua, Cecpilia Akemi e abaixadas Naoko Yuasa e Cristina Rocha


TOTE ESPAÇO CULTURAL

 

Nesse maravilhoso espaço cultural onde funcionam os ateliers  das astistas plásticas Norma Vieira e Vera Orsini, também acontecem exposições, cursos e outras atividades culturais. Funciona também uma loja.








EXPOSIÇÃO EXPLOSÃO - TOTE ESPAÇO CULTURAL
Na TOTE, a convite de Cecília Akemi, fomos recebidos por ela e por Norma e Vera e visitamos a exposição EXPLOSÃO:

                                   Convite                       

"Quando nos orientamos pela possibilidade de fazer da explosão arte, nos deparamos, de fato, com as condições de fazer arte, na vida. Não somente fazer da vida uma arte. Mais além, fazer arte, na vida, implica em fazer arte, na explosão" Mauro Mendes Dias .
O projeto "Explosão" é composto por nove renomados artistas de Campinas, que refletiram os textos do psicanalista Mauro Mendes Dias sobre terrorismo, explosão, vida e arte, e também sobre parte da obra do artista chinês Cai Guo Qiang. Isso gerou um excelente debate na Livraria Cultura, e o trabalho se encerra com obras surpreendentes na exposição"EXPLOSÃO", que o TOTE Espaço Cultural tem o privilégio de abrigar.
Merece destaque  a escultura "ESFERA" de autoria de Cecília Akemi:


Norma Vieira também nos apresentou seu trabalho "DEPOIS DE UM TEMPO/TEMPO DEPOIS",  que havia sido tema de uma exposição individual.
                                                                                                                                                       .
O trabalho desenvolvido por Norma começou a partir da herança deixada por seu pai, Tote: os desenhos científicos que ilustravam artigos de publicações das décads de 40 e 50 de suas pesquisas realizadas em parceria com outros pesquisadores para a revista Memórias do Instituto Butantan.
Veja mais sobre esta exposição no site http://www.toteespacocultural.com.br/, de onde também extraímos os textos sobre as exposições.


3º CONGRESSO NACIONAL DE CERÂMICA DO PARANÁ

Mais uma vez esta ano, estivemos participando do Congresso Nacional de Ceâmica do Paraná, que acontace bienalmente, no Museu Alfredo Andersen, da Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Paraná, concomitantemente ao Salão Nacional de Cerâmica. Lá ministramos palestra e oficina com o tema "Uma Cidade Imaginária, tomando como ponto de partida o livro homonimo do filósofo italiano Ítalo Calvino.
Mais sobre o Congresso acesse o site: www.pr.gov.br/maa
 
CORES DA TERRA

Tão logo chegamos no aeroporto de Curitiba e entramos na van que nos conduziria ao hotel, conhecemos Selma Calheira, de Ibirataia/BA, que estava lá também para ministrar uma palestra no Congresso e nos contou sobre sua empresa CORES DA TERRA, que produz objetos de cerâmica e ferro e exporta para vários países. Consulte o site: www.coresdaterra.com.br. Foram muitas andanças, conversas, almoços, jantares e cafés.

Em frente ao SESC da Esquina, em Curitiiba/PR, no 3º Congresso Nacional de Cerâmica do Paraná, com nossos amigos: da esquerda para a direita: Juan Pache, Elaine Zanella, Rosana de Oliveira, Megumi Yuasa, Vilma Villaverde, Lalada Dalglish, Sandra Lagua e sentadas, Selma Calheira e Naoko Yuasa.
 
É sempre assim no Congresso de Cerâmica em Curitiba. Além da sempre eficiente, simpática e acolhedora recepção de seus organizadores, Roseli Fischer Bassler e Gilberto Luz, ainda temos a oportunidade de encontrar os amigos de todo o Brasil, trocar muitas idéias, aprender muito e ainda ter um tempo de compartilhar conversas e momentos inesquecíveis em andanças, almoços e jantares. Foi assim também com o pessoal do BANDO DE BARRO, como sempre em massa participando do Congresso.

Visão parcial do  "pequeno" grupo que foi tomar sopa após as atividades do Congresso numa noite fria e cheia de serração

O SALÃO DE CERÂMICA também, como sempre, estava muito bem organizado de de autissimo nível. Estivemos lá e intergimos com a obra do nosso grande amigo do BANDO DE BARRO, Rodrigo Nuñes, da UFRGS.

      GRUPO IANDÉ interagindo com a obra "Capacete de Idéias I, II e III" do Rogrigo Nuñez no Salão de Cerâmica do Paraná 2010

O MUSEU DO OLHO
Não há como ir a Curitiba e não fazer uma visita ao "Museu do Olho", projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Além do museu ser maravilhoso ainda está inserido em um contexto ambiental incrível. Por trás do edifício está o Bosque do Papa, que é um parque lindo, muito arborizado e agradável. Lá vimos diversas exposições, mas uma delas era especial, "Sombras e Sortilégios" do desenhista e gravador Marcelo Grassmann. No Museu também encontramos algumas pessoas do BANDO DO BARRO.
            GRUPO IANDÉ e parte do BANDO DE BARRO, numa escapadela do Congresso para visitar o MUSEU DO OLHO

Nossos amigos, companheiros de oficina do 3º Congresso Nacinal de Cerâmica do Paraná, nos enviaram fotos que queremos postar.
A Cida Ramaldes, de Vitória/ES, nos enviou um link que contém a foto de um trabalho feito pelas mulheres ceramistas do Vale do Jequitinhonha, acompanhado de um texto sobre esse trabalho. Ela esteve lá em abril e ficou muito impressionada com o trabalho de cerâmica que é desenvolvido.

A Ilca Barcellos de Souza, do Bando de Barro, gentilmente nos enviou um link para que pudessemos conhecer um pouco do trabalho dela. Recomendamos uma visita ao site, vale a pena: http://www.albaret.net/ilca-barcellos. O GRUPO IANDÉ, vai estar expondo junto com ela e mais uns 50 e poucos artistas,  no Museu Histório de Santa Catarina, que faz parte da itinerância da exposição "GUARDAR" que iniciou no Arquivo do Estado do Rio Grande do Sul. Segue colagem de fotos da oficina "Uma Cidade Imaginária", no 3º Congresso Nacional de Cerâmica do Paraná, que a Ilca nos enviou:

O Congresso de Curitiba é assim. Cada um que você conversa tem uma história mais interessante e uma experiência rica para contar. Essa é, sem dúvida,  uma das melhores coisas que acontecem nesse congresso.

OFICINA "ART TEA"
O Atelier Nao Yuasa e o GRUPO IANDÉ ofereceram no dia 28/08/2010, a oficina “THE ART TEA” como uma proposta de direcionamento e inspiração para todos aqueles que trabalham com criação. A partir do tema gerador “Flowering Tea” (também Blooming Tea, ou Art Tea), foram discutidos os aspectos da imaginação, da observação, da construção e desconstrução do modelo no processo criativo.
Como prometemos aos participantes da oficina, na página "OFICINA ART TEA" na faixa lateral deste blog, disponibilizamos diversas informações, como fotos, videos, textos, biliografia.

 Uma pequena amostra da oficina. Mais fotos no album que está na página "Oficina Art Tea"

HISTÓRIA DO CHÁ (video)
Enquanto não abre a página  da "OFICINA ART TEA", pode-se ver o vídeo que foi apresentado durante a oficina sobre a hisrória do chá.
video



COLABORAÇÕES PARA AMPLIAR A CONSTELAÇÃO 
Nosso amigo e companheiro de oficina Celso Setogutte, ceramista, artista plástico e médico,  nos enviou um poema do Fereira Gullar para postarmos no blog, estabelecendo uma relação entre o poema e a oficina "Uma Cidade Imaginária". Além da relação ser muito apropriada, ainda gostaríamos de comentar que admiramos muito e seguimos o trabalho desse importante pensador e poeta.  Algumas vezes nos baseamos em suas propostas e temos pensado mesmo em  utilizá-las mais nos conteúdos básicos de nossas oficinas.


                                   "O homem está na cidade
                             como uma coisa está em outra
                             e a cidade está no homem
                             que está em outra cidade.
                             mas variados são os modos
                             como uma coisa
                             está em outra coisa:
                             o homem, por exemplo, não está na cidade
                             nem como uma árvore
                             está em qualquer uma de suas folhas "

                                                                                                                         Ferreira Gullar

 
 

3 comentários:

  1. Ao grupo Iandé
    Adorei as notícias postadas no blog. Aguardamos vocês na exposição do bando aqui em Floripa. Temos mar sol e ótima culinária. bjs Ilca

    ResponderExcluir
  2. Ficou lindo, estava aguardando ansiosa pelo blog...
    Amei o trabalho de vcs: inquietante e revelador Beijão. Itala Tosin

    ResponderExcluir
  3. Boa noite GRUPO IANDÉ,
    É um prazer segui-los. Mas estou aqui para informar que o site que criei para divulgar as ceramistas do Vale do Jequitinhonha, infelizmente foi retirado do ar. Peço desculpas com a promessa de assim que o problema estiver resolvido, voltar para atualizar o endereço.
    Agradeço mesmo assim o carinho pela divulgação.
    Penha Schirmer (Atelier330)

    ResponderExcluir